CEIs Pequeno Príncipe e Sonho de Anjo promovem assembleia

Os Centros de Educação Infantil Pequeno Príncipe e Sonho de Anjo, de Cunha Porã, promoveram no dia 21 de março, assembleia para debater sobre assuntos relacionados ao bom andamento escolar deste ano. A reunião contou com a presença dos pais, professores, coordenadora pedagógica Marcia Dall Agnol, diretora Roseli Otto e secretária de Educação, Crisane Frey.

A assembleia contou com momento de reflexão com vistas para o aproveitamento da vida, a valorização das oportunidades e os momentos em família. Também foi assistida entrevista com o filósofo, escritor e educador Mario Sérgio Cortella, retratando que muitas famílias confundem escolarização com educação. Sendo necessário lembrar que a escolarização é apenas uma parte da educação. Educar é tarefa da família.

Na ocasião foi falado sobre a organização dos Centros de Educação Infantil, distribuição de turmas, disciplinas que são ministradas nos estabelecimentos, horário de atendimento, quadro de funcionários, bem como eleição das novas diretorias e Conselho Escolar. A secretária de Educação também falou aos presentes, ressaltando as reformas que vem sendo feitas no Pequeno Príncipe, e as ações de melhorias que serão desenvolvidas no Sonho de Anjo.

Crisane enfatizou ainda a importância da participação da família na vida escolar do filho. “A família deve se esforçar para estar presente em todos os momentos da vida de seus filhos. Presença que implica envolvimento, comprometimento e colaboração. Deve estar atenta a dificuldades, não só cognitivas, mas também comportamentais, além de estar pronta para intervir da melhor maneira possível, visando sempre o bem de seus filhos, mesmo que isso signifique dizer sucessivos ‘nãos’ às suas exigências”, declarou.

            Para finalizar, a coordenadora pedagógica falou sobre a importância do comprometimento e envolvimento dos pais na vida escolar dos filhos, que deve ser constante e construtivo, para que a criança e o jovem possam se sentir amparados, acolhidos e amados. “Do mesmo modo, deve-se lutar para que pais e escola estejam em completa sintonia em suas atitudes, já que seus objetivos são os mesmos. Devem, portanto, compartilhar de um mesmo ideal, pois só assim realmente estaremos formando e educando, superando conflitos e dificuldades que tanto vêm angustiando os professores, como também pais”, disse Marcia.