Sala de Situação evidencia ações de combate ao Aedes aegypti

Foi realizada na tarde de segunda-feira (18), mais uma reunião da Sala de Situação, que conta com representantes das entidades de Cunha Porã, Secretaria de Saúde e Governo Municipal. O objetivo do encontro foi apresentar as ações já realizadas com relação ao combate do mosquito Aedes aegypti.

Uma dessas ações é a entrega, junto aos carnês do IPTU, de notificação aos proprietários de imóveis e terrenos baldios orientando sobre os cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti.

Conforme a coordenadora da Sala de Situação, Angela Kölln, até o momento foram identificados 35 focos do mosquito Aedes aegypti e 51 casos notificados. Destes, 27 casos deram negativos para doenças; 17 aguardam resultados de exames; seis foram considerados positivos para Dengue; e um para Zika. “É importante ressaltar que todos os casos de doenças são importados, ou seja, as pessoas foram infectadas em outros municípios”, explica Angela.

Ainda durante reunião foi explanado sobre o 3º ciclo da Sala de Situação, cujos trabalhos já tiveram início consistindo novamente no retorno aos imóveis localizados em áreas infestadas, a fim de promover tratamento e eliminação de depósitos que possam acumular água. Os proprietários desses imóveis também são orientados a providenciar as adequações necessárias. Esta ação é realizada pelos agentes comunitários de saúde e Endemias.

Mutirão no dia 21

Outro tema que pautou a reunião da Sala de Situação deste mês foi com relação à data especial que será destinada aos trabalhos de mutirão para recuperar os imóveis fechados em visitas anteriores. O grupo decidiu que esta ação será executada nesta quinta-feira (21), feriado de Tiradentes, com concentração às 8h, na Praça da Bandeira.

Na oportunidade cada entidade que integra a Sala de Situação indicará voluntários que acompanharão os agentes comunitários de saúde e Endemias nestas visitas. A coordenadora da Sala de Situação lembra que todos os agentes comunitários de saúde e Endemias estão identificados com coletes e crachás, a fim de evitar transtornos na comunidade.

Este trabalho tem por objetivo atingir as metas estabelecidas para o 3º ciclo da Sala de Situação. “Solicitamos que a população continue ajudando na eliminação de depósitos que possam acumular água ou que sirvam de criadouros para o mosquito, desta forma podemos evitar uma epidemia em nosso município. Se cada um se dedicar um pouco nesta ação teremos resultados melhores e certamente ficaremos livres das doenças Dengue, Zika e Chikungunya”, destaca Angela.