Secretaria de Saúde alerta para necessidade da vacina contra o Sarampo

Preocupados com o registro de Sarampo em algumas regiões do país, os profissionais da Secretaria de Saúde de Cunha Porã alertam para a necessidade das pessoas manterem atualizadas suas cadernetas de vacinação – a única forma de prevenir doenças infectocontagiosas.

De acordo com o Ministério da Saúde, atualmente o país enfrenta dois surtos de sarampo, em Roraima e Amazonas. Além disso, alguns casos isolados e relacionados à importação foram identificados em São Paulo, Rio Grande do Sul, Rondônia e Rio de Janeiro.

O sarampo é considerado uma doença viral aguda com alto potencial de transmissão através de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar, e que pode levar a complicações graves, como pneumonia, infecções secundárias bacterianas, entre outras. Essa transmissão ocorre de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento do exantema.

O quadro clínico apresenta, entre outros sintomas, febre alta, dor de cabeça, tosse, coriza, conjuntivite e manchas brancas que aparecem na mucosa bucal, conhecida como sinal de koplik, que antecede de um a dois dias antes do aparecimento das manchas vermelhas. O diagnóstico do sarampo é feito a partir da análise de anticorpos presentes no sangue.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, a vacinação é a única maneira de prevenir a doença. O esquema vacinal vigente é de duas doses de vacina com componente sarampo para pessoas de 12 meses até 29 anos de idade, sendo uma dose da vacina tríplice viral aos 12 meses de idade e uma dose da vacina tetra viral aos 15 meses de idade, até 29 anos o indivíduo deverá ter duas doses. Uma dose da vacina tríplice viral também está indicada para pessoas de 30 a 49 anos de idade.

Para os adultos que por ventura não se lembram se já se imunizaram contra o sarampo, a orientação é para que procurem pela Sala de Vacinação da Secretaria de Saúde de Cunha Porã. Além disso, profissionais de Saúde também precisam estar imunizados, haja vista o sarampo ser contagioso. Outra orientação é com relação aos caminhoneiros, para que também verifiquem suas vacinas e previnam-se contra doenças infectocontagiosas.

A Sala de Vacinas está localizada junto a Unidade de Saúde do centro, próximo ao Fórum, e atende de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 17h. É importante que todo munícipe que for se vacinar leve consigo o cartão do SUS e a caderneta de vacinação.

 

Fonte: Ministério da Saúde