Atenção com número crescente de focos do Aedes aegypti deve ser redobrada

O crescente número de focos do mosquito Aedes aegypti tem preocupado a Secretaria de Saúde de Cunha Porã e a Sala de Situação, que solicitam à população cuidados redobrados em relação aos imóveis, especialmente em locais que possam acumular água.

A preocupação da equipe também leva em conta os números de casos positivos na região. Mesmo com as orientações de isolamento social por causa da pandemia do coronavírus, algumas atividades essenciais contam com trânsito de pessoas entre municípios, e por isso, a possibilidade de propagação da doença é grande.

De acordo com a coordenadora da Sala de Situação e agente de Endemias, Angela Rieger Kölln, a orientação é que as pessoas façam uso de repelente diariamente e, na medida do possível, usem roupas longas. “Além disso, pedimos ainda para as pessoas que estão em casa por conta do isolamento do coronavírus, para que destinem um tempo para limpeza dos imóveis, evitando assim a proliferação do Aedes aegypti”, solicita Angela.

Conforme dos dados da Sala de Situação da última semana, Cunha Porã contabiliza 44 focos do mosquito Aedes aegypti. Cinco pacientes foram notificados para doenças; quatro com resultados negativos e um ainda aguardando exames.