Projeto de implantação de horto medicinal é debatido em encontro

Na última quinta-feira (5), tendo como local o salão nobre da prefeitura de Cunha Porã, foi realizada reunião para tratar do desenvolvimento do projeto “Promoção de saúde através das plantas medicinais em comunidades do Oeste catarinense”, que é coordenado pela professora do curso de Enfermagem da Udesc Chapecó, Kiciosan da Silva Bernardi Galli, por meio da coordenação do programa de extensão “Promoção de saúde em comunidades rurais do Oeste catarinense”, que está sob responsabilidade de Bernadette Kreutz Erdtmann.

O projeto tem como foco os municípios de Cunha Porã e Palmitos. Na Morada do Verde, o mesmo conta com apoio das secretarias da Saúde e Agricultura, além da Epagri, Cooperativa Regional Auriverde e um grupo de mulheres – líderes comunitárias – que já desempenhavam atividades com plantas medicinais.

 Este segundo encontro sobre o projeto objetivou o debate sobre os processos de produção, colheita e armazenamento das plantas e ervas medicinais, além de uma visita técnica que deverá ocorrer na segunda quinzena de agosto. Também foram elencados nomes de pessoas que já atuam neste ramo e que deverão repassar orientações ao grupo do município. Outro importante tópico abordado no encontro foi com relação à propriedade em que será desenvolvido o horto modelo para o cultivo das plantas medicinais.

De acordo com Bernadette a iniciativa leva em conta que o Ministério da Saúde incentiva práticas integrativas para o uso de plantas e chás medicinais. “Por isso, preocupados com a ação dessas plantas, pensamos em desenvolver um horto modelo para explicar de maneira correta como se deve plantar, coletar, armazenar e utilizar esses chás”, esclarece a profissional, reforçando que muitas ervas podem conter níveis de toxicidade que precisam ser observados cautelosamente.

Segundo Kiciosan, que é do município de Cunha Porã, o projeto da Udesc teve a adesão das secretarias de Saúde e Agricultura, e agora mais recente da Auriverde e isso deixou a equipe muita satisfeita. “A Epagri, por meio da extensionista Cleide, já desempenhava algumas ações e estudos com as mulheres sobre as plantas medicinais, e com este projeto, certamente vamos proporcionar ainda mais conhecimento em prol da saúde dos cunha-porenses”, assinala.